Buscar

A rica visão dos salmistas sobre a depressão



É interessante refletir sobre os Salmos e como eles descrevem a "depressão". É uma visão riquíssima. Honestamente, eles fazem a descrição do DSM-V parecer superficial.


Riqueza na definição / descrições da depressão

Nos Salmos, descobrimos uma grande variedade de descrições da depressão.


Parte disso é o que a história da igreja chamou de "depressão espiritual". Ou seja, depressão, desespero e dúvida causados ​​pela “noite escura da alma”, como no Salmo 88, quando Deus parece ausente.


Parte da depressão nos Salmos é situacional - desespero, dúvida, agonia, mágoa, sonhos destruídos... - uma forma de resposta aos inimigos e ao mal.


Parte da depressão discutida nos Salmos é causada pelo pecado pessoal - pecado não confessado. Os Salmos 32 e 51 são apenas dois exemplos de pelo menos sete Salmos de Confissão. O pecado não confessado pode esmagar o corpo e a alma.


Riqueza no impacto da depressão

Isso nos leva a outra área de riqueza nos Salmos - o impacto da depressão é variado. A depressão afeta a mente, a alma, o sentido do eu, o corpo, as emoções, a vontade.


Isso não quer dizer que a depressão “controla” os aspectos da personalidade humana. Mas não há dúvida de que os Salmos demonstram a interconexão entre a depressão e as afeições, a alma, a mente, a vontade, as emoções e o corpo.


Riqueza na receita para tratar a depressão

A depressão nos Salmos nunca é vista simplesmente como uma "resposta emocional". A depressão é sempre uma resposta de uma pessoa inteira a Deus, à vida, aos outros e a si mesma.


A depressão, independentemente da etiologia ou causa potencial, é sempre vista da perspectiva do “relacionamento com Deus". Isso porque os Salmos, como toda a Bíblia, vêem todas as pessoas como seres que se relacionam com Deus.

É triste quando os cristãos enfatizam as teorias seculares em detrimento da pessoa de Deus. Como Jay Adams disse em  A Theology of Christian Counseling, "Deus é nosso ambiente."


Portanto, quer a depressão seja relacionada ao pecado pessoal, ao pecado do outro, ou à noite escura da alma - Deus está sempre nos lábios, mentes e corações dos salmistas.


Riqueza da compaixão pela alma deprimida: enxergando a depressão através das lentes do sofrimento 

É instrutivo observar que, além dos sete Salmos de Confissão, a maioria dos Salmos que aborda a depressão, a dúvida e o desespero o faz através das lentes da compaixão pelo sofrimento. Em outras palavras, a resposta padrão não é: “Você está deprimido; você deve ter um pecado não confessado.”

Novamente, em sete Salmos, essa é claramente a categoria diagnóstica. Mas em muitos outros Salmos, a categoria diagnóstica não é “hamartiologia” (pecado pessoal), mas “sofrologia” (viver em um mundo decaído e experimentar o impacto desse mundo decaído).

Como conselheiros bíblicos, seria sábio observar isso. Nossa lente padrão para a depressão é sempre: “É um pecado não reconhecido ou não confessado”? Sempre presumimos que “a depressão deve ser tratada como uma resposta pecaminosa às situações da vida”?


Frequentemente, a depressão deve ser tratada como uma resposta humana normal aos horrores de viver em um mundo decaído.


Os salmistas não têm vergonha de lamentar. Nem se precipita em seus lamentos. Às vezes, eles são até mesmo corajosos e confiam em Deus o suficiente para terminar um Salmo ainda confuso e lutando - como no Salmo 88.


Quando alguém vem até nós lamentando a vida “identificar o pecado”, ou “identificar o ídolo do coração”, ou “exortar para mais maturidade emocional” não é a resposta dos Salmos. A resposta é “entrar no barco” - lamentar com as pessoas, estar presente para as pessoas - com compaixão.  À medida que entramos no barco com pessoas que sofrem, também nos movemos com elas em direção à esperança.


Em outras palavras, sejamos como os conselheiros de Jó nos primeiros sete dias, quando lamentaram com Jó. Não sejamos como os miseráveis ​​conselheiros de Jó quando passaram o resto do tempo “procurando o pecado”.


O aconselhamento bíblico abrangente e compassivo é o cuidado mais holístico que podemos oferecer a qualquer pessoa que esteja lutando contra a depressão. É um cuidado compassivo e abrangente semelhante aos Salmos. Ele vê a depressão através de lentes ricas; vê a pessoa através de lentes compassivas; vê toda a vida através das lentes cheias de esperança de Cristo.


Junte-se à conversa

Como os Salmos podem afetar a maneira como vemos a depressão?



Publicado originalmente em Christian Counseling.

Bob Kellmen


Bob Kellmen, PhD, pastoreou três igrejas (e lançou ministérios de aconselhamento bíblico em cada uma), serviu por uma dúzia de anos como presidente fundador do M.A. in Christian Counseling and Discipleship Department no Capital Bible Seminary, é o fundador e CEO da RPM Ministries e atua como diretor executivo da recém-lançada Biblical Counseling Coalition. Ele é autor de Aconselhamento Segundo o Evangelho (Cultura Cristã, 2018).

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo